quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Cinema brasileiro - Linha do Tempo


 886  - O cinema chega ao Brasil. Acontece a primeira exibção cinematográfica
1897  - Aberta a primeira sala de cinema regular no Brasil, pelo imigrante italiano Paschoal Segreto
1898  - Primeiras filmagens em solo brasileiro, da baía de Guanabara
1899  - Primeiras filmagens  feitas em São Paulo
1900 - Aberta a primeira sala de cinema em São Paulo, pelo italiano Vitor di Maio
1907 - Inaugurada a usina de fornecimento de energia, surgindo o apogeu da produção cinematográfica, conhecido como "Bela Época"
1908 - É produzido o primeiro filme de ficção brasileiro, "Os Estrangualdores"
1910 - A cinematografia é paralisada com a crise da primeira guerra mundial
1911 - Chega ao Brasil o cinema americano, dominando o mercado.
1917 - Surge a primeira animação brasileira, O Kaiser, feito pelo desenhista Seth.
1920 - Surgem as primeiras publicações especializadas em cobrir as produções de Hollywood, a Para Todos, a Selecta e a Cinearte.
1921 - O Brasil é o quarto maior importador de filmes americanos. Noite de São João, de Francisco de Almeida Fleming, apresenta um processo de colorização manual.
1922 - No Paíz das Amazonas, de Silvino Santos, é apresentado em Paris e Londres e fica por cinco meses em cartaz, no Rio de Janeiro.
1925 - Francisco Serrador inaugura, na Cinelândia (Rio de Janeiro), a primeira sala de cinema de luxo. Humberto Mauro cria a produtora Phebo Sul América Film, em Cataguases (MG).
1929 - Mulher, de Adhemar Gonzaga, tem cenas gravadas por Eva Schonoor e Carlos Modesto, nos estúdios da United Artists, em Hollywood. Acabaram-se os Otários, de Luiz de Barros, com música de Paraguaçu, é o primeiro filme sonoro brasileiro, assistido por 35 mil pessoas na semana de estréia.
1930 - Os Estados Unidos ficam isentos de taxas alfandegárias, o que levou ao enfraquecimento do cinema nacional.
1931 - Limite, de Mario Peixoto, torna-se o mais importante filme mudo brasileiro. A obra de 110 minutos tem imagens poéticas e intimistas, além de fusões, cortes e ângulos audaciosos.
1932 - Decretada lei que obriga a exibição de cines-jornal brasileiros durante as sessões de cinema.
1933 - Carmem Miranda faz sua estréia em cinema, em A Voz do Carnaval, de Ademar Gonzaga e Humberto Mauro. Humberto Mauro dirige Ganga Bruta, seu mais importante filme.
1934 - Carmem Santos monta a produtora Brasil-Vita Filme.
1936 -  Roquete Pinto cria o Instituto Nacional do Cinema Educativo, onde Humberto Mauro produz centenas de documentários.
1939 - Decretada uma lei que impõe às salas de cinema uma cota mínima de exibição para filmes brasileiros.
1940 - Carmem Miranda faz sua primeira atuação em Hollywood, no filme Serenata Tropical, de Irving Cummings.
1941 - É criada a Atlântida, que produz filmes de baixo orçamento e se associa ao exibidor Luís Severiano Ribeiro para garantir espaço nas telas para o cinema brasileiro.
1944 - Tristezas Não Pagam Dívidas, de Ruy Costa e José Carlos Burle, inaugura o gênero da Chanchada.
1949 - É criada a Vera Cruz, estúdio nos moldes do cinema americano. Um marco na industrialização da cinematografia nacional.
1950 - Inaugurada a primeira emissora de televisão do Brasil, a TV Tupi.
1952 - Tico-Tico no Fubá, de Adolfo Celi, tem lançamento simultâneo em 22 salas.
1953 - O Cangaceiro, de Lima Barreto, ganha o Festival de Cannes e torna-se o primeiro filme brasileiro a ter sucesso internacional.Destino em Apuros, de Ernesto Remani, é o primeiro filme nacional em cores.
1955 - Rio 40 graus, de Nelson Pereira dos Santos, marca o início da corrente do Cinema Novo.
1956 - É criada a Cinemateca Brasileira, em São Paulo.
1957 - Um incêndio destrói 1/3 do acervo da Cinemateca Brasileira.
1959 - O filme francês Orfeu Negro, de Marcel Camus, inspirado no musical Orfeu da Conceição, de Vinícius de Morais e Tom Jobim, ganha a Palma de Ouro em Cannes e o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro nos EUA.
1962  - O Pagador de Promessas, de Anselmo Duarte, é premiado com a Palma de Ouro no Festival de Cannes.
1963 - criado, em São Paulo, o "Sindcine" (Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Cinematográfica).
1964 - "Deus e o Diabo na Terra do Sol" é o mais importante filme de Glauber Rocha e do Cinema Novo.
1965 - São Paulo S.A., de Luís Sérgio Person, faz crítica à crescente sociedade industrial paulistana.
1966 - Criado o curso de Cinema e Vídeo da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP).
1967 -  Surge o Festival de Cinema de Brasília.
1968 - "O bandido da luz vermelha" de Rogério Sganzerla, segue a estética underground do Cinema Marginal.
1969 - "Matou a famíília e foi ao cinema", de Júlio Bressane, dá continuidade à estética marginal.
1969 - O governo militar brasileiro cria a Embrafilme, empresa estatal, para promover e controlar a indústria cinematográfica.
1970 - Sob controle do governo, a Embrafilme garante espaço para os filmes nacionais, em meio ao domínio dos filmes estrangeiros, com financiamento público e salas de exibição garantidas em lei.Em São Paulo, o movimento da Boca do Lixo produz filmes de baixo orçamento, com forte apelo erótico, conhecidos por Pornochanchadas.Outro grande fenômeno popular são as comédias de Os Trapalhões, que atraem milhões de espectadores, com mais de uma dezena de filmes.
1973 - Surge o Festival de Cinema de Gramado.
1974 - O road-movie "Iracema, uma transa amazônica" , de Jorge Bodanzky, cria um novo tipo de filme que mistura documentário e ficção, e que futuramente influenciará filmes como Cidade de Deus, de Fernando Meirelles.
1976 - Com mais de 10 milhões de espectadores, "Dona Flor e Seus Dois Maridos", de Bruno Barreto, torna-se a maior bilheteria da história do cinema brasileiro.
1978 - Os filmes nacionais atraem 30% do público que freqüenta salas de cinemas no país.
1980 - O governo militar chega ao fim, sob forte recessão econômica, e o cinema enfrenta grave crise. Os exibidores rebelam-se contra a obrigatoriedade de exibir títulos nacionais e, sem verbas, a Embrafilme deixa de financiar a produção, que decai vertiginosamente.No final da década, a lei de incentivo do Prêmio Estímulo e a obrigatoriedade de exibição de curtas nos cinemas promoveram um surto produtivo de curtas em todo o país, com destaque para os núcleos paulista, carioca e gaúcho
1980 - A produção cinematográfica brasileira ultrapassa a marca de 100 filmes no ano.
1981 - Morre o cineasta Glauber Rocha.
1984 - Bete Balanço, de Lael Rodrigues, retrata o cenário do rock nacional, com trilha de Cazuza e participação de Barão Vermelho, Titãs e Lobão.
1985 - O cinema acompanha a crise financeira do país. As 1.400 salas que resistem recebem 90 milhões de espectadores, 1/3 do público da década anterior.
1987 - Criada a Casa de Cinema de Porto Alegre, com a união de 11 realizadores gaúchos.
1989 - O curta "Ilha das Flores" , de Jorge Furtado, vence o Festival de Berlim na categoria e é eleito pela crítica européia um dos 100 mais importantes curtas-metragens do século XX.
1990 - O governo Collor extingue a Embrafilme. É criado o Festival Internacional de Curtas-metragens de São Paulo.
1992 - O 25º Festival de Brasília é adiado por causa da falta de filmes concorrentes.
1994 - Carlota Joaquina, de Carla Camurati, é o primeiro filme realizado pela Lei do Audiovisual.
1995 - O Quatrilho, de Fábio Barreto, é indicado ao Oscar e é destaque nos Festivais de Havana e Viña Del Mar.
1996 - O projeto Cine Mambembe (atual Cine Tela Brasil) cai na estrada e percorre todo o país, exibindo filmes brasileiros em praças públicas e escolas. Criado o "Festival É tudo Verdade" , principal evento na América do Sul dedicado exclusivamente à cultura do documentário.
1997 - Chega ao Brasil a rede Cinemark, a primeira a instalar o conceito de salas multiplex "O que é isso companheiro?", de Bruno Barreto, é indicado ao Oscar.
1998 - "Central do Brasil", de Walter Salles, ganha o Festival de Berlim, e Fernanda Montenegro é indicada ao Oscar de melhor atriz.
2001 - Xuxa e os Duendes, de Paulo Sérgio de Almeida e Rogério Gomes, é o primeiro longa-metragem digital brasileiro.
2002 - É criada a Academia Brasileira de Cinema, instituição que reúne realizadores, distribuidores, produtores, exibidores, técnicos, atores e demais profissionais do cinema e do audiovisual. "Cidade de Deus" , de Fernando Meirelles, participa do Festival de Cannes e é distribuído para 62 países.
2003 - "Carandiru" , de Hector Babenco, participa do Festival de Cannes e ganha prêmio no Festival de Havana.
2006 - Existem 127 salas de projeção digital no Brasil, num total de 2.095 salas de cinema espalhadas pelo país.
2008 - "Tropa de Elite" , de José Padilha, vence o Festival de Berlim.
2009 - Se eu fosse você 2, Daniel Filho
2010 - “Tropa de Elite 2”. dirigido por José Padilha e estrelado por Wagner Moura.
1011 - “ Qualquer gato vira-lata, O homem do futuro, Assalto ao Banco Central, O Palhaço.

 


 
Fonte:
http://ocinemabrasil.blogspot.com/2010/06/linha-do-tempo
http://www.telabr.com.br/timeline/brasil
www.filmesdecinema.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário