quarta-feira, 29 de maio de 2013

Teatro brasileiro



O teatro brasileiro surgiu quando Portugal começou a fazer do Brasil sua colônia (Século XVI). Os Jesuítas, com o intuito de catequizar os índios, trouxeram não só a nova religião católica, mas também uma cultura diferente, em que se incluía a literatura e o teatro. Aliada aos rituais festivos e danças indígenas, a primeira forma de teatro que os brasileiros conheceram foi a dos portugueses, que tinha um caráter pedagógico baseado na Bíblia. Nessa época, o maior responsável pelo ensinamento do teatro, bem como pela autoria das peças, foi Padre Anchieta.
As primeiras peças foram, então, escritas pelos Jesuítas, que se utilizava de elementos da cultura indígena a começar pelo caráter de "sagrado" que o índio já tinha absorvido em sua cultura, até porque era preciso "tocar" o índio, falando de coisas que ele conhecia. Misturados a esses elementos, estavam os dogmas da Igreja Católica, para que o objetivo da Companhia - a catequese - não se perdesse.
As peças eram escritas em tupi, português ou espanhol (isso se deu até 1584, quando então "chegou" o latim). Nelas, os personagens eram santos, demônios, imperadores e, pôr vezes, representavam apenas simbolismos, como o Amor ou o Temor a Deus. Com a catequese, o teatro acabou se tornando matéria obrigatória para os estudantes da área de Humanas, nos colégios da Companhia de Jesus. No entanto, os personagens femininos eram proibidos (com exceção das Santas), para se evitar uma certa "empolgação" nos jovens.
Os atores, nessa época, eram os índios domesticados, os futuros padres, os brancos e os mamelucos. Todos amadores, que atuavam de improviso nas peças apresentadas nas Igrejas, nas praças e nos colégios. Os atores eram os índios domesticados, os futuros padres, os brancos e os mamelucos. Todos amadores, que atuavam de improviso nas peças apresentadas nas Igrejas, nas praças e nos colégios. No que diz respeito aos autores, o nome de mais destaque da época é o de Padre Anchieta. É dele a autoria de Auto de Pregação Universal, escrito entre 1567 e 1570, e representado em diversos locais do Brasil, pôr vários anos.
Além dos autos, outros "estilos teatrais" introduzidos pelos Jesuítas foram o presépio, que passou a ser incorporado nas festas folclóricas, e os pastoris.
Com a chegada da família real no Brasil, em 1808, o teatro dá um grande salto. D. João VI assina um decreto de 28 de maio de 1810 que reconhece a necessidade da construção de "teatros decentes" para a nobreza que necessitava de diversão. Grandes espetáculos começaram a chegar ao Brasil, porém, além de serem estrangeiros e refletirem os gostos europeus da época eram somente para os aristocratas e o povo não tinha qualquer participação, o teatro não tinha uma identidade brasileira.
O teatro brasileiro criou forças com o início do Romantismo, no século XIX, por volta de 1838, impulsionado por alguns grandes escritores como Martins Pena, que foi um dos pioneiros com suas comédias de costumes, Artur de Azevedo, Gonçalves Magalhães, o ator e empresário João Caetano, o escritor Machado de Assis e José de Alencar.
Em 1855 surge o teatro realista no Brasil, o teatro deixa de lado os dramalhões e visa o debate de temas atuais, problemas sociais e conflitos psicológicos tentando mostras e revelar o cotidiano da sociedade, o amor adúltero, a falsidade e o egoísmo humanos. Um dos mais importantes autores dessa época é Joaquim Manoel de Macedo, autor da obra-prima A Moreninha, de Arthur Azevedo.
A Semana de Arte Moderna de 1922, que foi um marco para as artes não abrangeu o teatro que ficou esquecido, adormecido por longos anos. A renovação do teatro brasileiro veio em 1943, com a estreia de Vestido de Noiva, de Gianfrancesco Guarnieri Nelson Rodrigues, sob a direção de Ziembinski, que escandalizou o público e modernizou o palco brasileiro. Vestido de Noiva fez um grande sucesso assim como o Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna.
Quando tudo parecia ir bem com o teatro brasileiro, o golpe militar em 1964 veio impor a censura prévia a autores e encenadores, levando o teatro a um retrocesso produtivo, mas não criativo. Prova disso é que nunca houve tantos dramaturgos atuando simultaneamente. Mas a censura faz com que muitos artistas tenham de abandonar os palcos e exilar-se em outros países. Com o fim do regime militar, no início da década de 1980, o teatro tentou recobrar seus rumos e estabelecer novas diretrizes. Surgiram grupos e movimentos de estímulo a uma nova dramaturgia.

Teatro atualmente

Depois da invenção do cinema e da televisão, podemos dizer que o teatro não possui mais tantos amantes. Mas de alguns anos para cá, podemos dizer que, cerca de 20 anos, as pessoas estão voltando a procurar o teatro como forma de lazer. Isso se deve ao fato da banalização da atuação.

Entre as peças teatrais mais procuradas estão os musicais e as comédias, além é claro das peças voltadas ao público infantil. É importante voltarmos a apreciar o teatro, pois podemos dizer que, um ator só é completo, depois que passou pelo teatro.

O Teatro hoje

Dá para perceber que, com tantas influências, o teatro de hoje é uma arte muito rica. Existe a ópera, o teatro de bonecos, os musicais, o teatro feito em espaços alternativos, entre outros. Quando apareceu o cinema, há mais de cem anos, muita gente previu o fim do teatro. Falavam que o cinema iria substituí-lo, porque podia criar histórias com muito mais semelhança com a realidade. Ainda bem que isso não aconteceu!


Fonte:
http://www.teatro.noradar.com/origem-do-teatro-no-brasil.htm
http://www.baraoemfoco.com.br/barao/portal/cultura/teatro/tatrobr.htm
http://www.arte.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=196
http://stoa.usp.br/cienciacultura/weblog/98963.html



Atividade sobre teatro brasileiro
 
1 - Como se deu início o teatro no Brasil?


2 - Qual era o principal propósito do teatro realizado pelos jesuítas?


3 - Antes da chegada do latim, as primeiras peças teatrais eram escritas em:
A - (   ) tupi, português ou espanhol
B - (   ) tupi, francês ou espanhol
C - (   ) francês, português ou espanhol
D - (   ) português, ingleses  ou francês

4 - Quem eram os atores nas primeiras peças teatrais no Brasil?


5 - Por que as mulheres eram proibidas de atuar?


6 - Com a chegada da família real no Brasil, em 1808, o teatro dá um grande salto. Marque as alternativas que verdadeiramente reforça o enunciado:
A - (   )  D. João VI assina um decreto de 28 de maio de 1810 que reconhece a necessidade da construção de "teatros decentes" para a nobreza que necessitava de diversão.
B - (   )  Nesse periodo o povo teve um participação ativa na criação de vários teatros bem como na atuação de vários espetáculos nacionais.
C - (   ) Grandes espetáculos começaram a chegar ao Brasil, porém, além de serem estrangeiros e refletirem os gostos europeus da época eram somente para os aristocratas e o povo não tinha qualquer participação.
D - (   ) Todas as alternativas estão corretas.

7 - O teatro brasileiro criou forças com o início do Romantismo, no século XIX, por volta de 1838, impulsionado por alguns grandes escritores. Quem são eles?


8 - Em 1855 surge o teatro Realista no Brasil, o teatro deixa de lado os dramalhões e visa o debate de temas atuais. Que tipos de temas eram abordados nas apresentações teatrais?


9 - Sobre o teatro brasileiro, analise as alternativas a seguir e responda com V (verdadeiro) ou F (falso).

A - (    ) Padre Anchieta foi um autor respeitado de sua época. É dele a autoria de Auto de Pregação Universal, escrito entre 1567 e 1570, e representado em diversos locais do Brasil, pôr vários anos.
B – (    ) Além dos autos, outros "estilos teatrais" introduzidos pelos Jesuítas foram o presépio.
C – (    ) Com o fim do regime militar, no início da década de 1980, o teatro tentou recobrar seus rumos e estabelecer novas diretrizes. Surgiram grupos e movimentos de estímulo a uma nova dramaturgia.
D – (    ) A Semana de Arte Moderna de 1922, que foi um marco para as artes não abrangeu o teatro que ficou esquecido, adormecido por longos anos.
E – (   ) Vestido de Noiva fez um grande sucesso assim como o Auto da Compadecida, de Padre Anchieta.



Nenhum comentário:

Postar um comentário