sábado, 22 de fevereiro de 2014

Retrato e autorretrato



             “Desde tempos imemoriais o homem é fascinado por sua própria imagem e pela de seus semelhantes. Na antiguidade, os egípcios retratavam os faraós e seus séquitos em pinturas impressionantes nas paredes das sepulturas da realeza. Bustos, medalhões e moedas era uma forma popular de pintura entre os romanos, em geral extremamente natural, que davam uma boa ideia de como as pessoas retratadas eram na vida real. [...]
            Como na antiguidade, os retratos eram ainda um grande luxo, apenas permitido a governantes e outros dignitários. Mas esse círculo passou a incluir os novos ricos – prósperos comerciantes e banqueiros, por exemplo – e dali em diante o mundo da arte foi povoado por uma multidão de novos rostos, alguns muito famosos, que viriam a fazer parte da história, e outros menos conhecidos, ligados ao dia a dia, porem igualmente irresistíveis.
            Grandes pintores começaram a se especializar em retratos, que durante o século XVI e XVII serviam aos interesses de famílias, de parentes e também às ambições. O retrato era, de forma geral considerada um símbolo de status, uma expressão de realização pessoal e uma forma de assegurar um lugar na prosperidade. No século XVII, era provavelmente por meio de um retrato quo o artista alcançava riqueza e fama.

DORE, Helen. A arte dos retratos. Tradução de Bázan. Rio de Janeiro: Ediouro, 1966. p. 5.


Toulouse Lautrec. 1890. Fotomontagem de Maurice Guibert.
                   
            Você reparou que, nessa imagem, a mesma pessoa aparece retratada em posições diferentes?
1-    Como será que o fotógrafo conseguiu esse resultado?
2-    Que lado do rosto do modelo Toulouse Lautrec o artista Toulouse Lautrec está pintando na tela?

O que é um retrato?
              Você tem muitos retratos?
            Chamamos de retrato imagens que representam uma ou mais pessoas por intermédio de fotografia, pintura, desenho, escultura ou gravura. Veja como esses retratos são diferentes:
 


                  O apaixonado.1997. Efrain de Almeida                     Autorretrato. 1940. Frida Kahlo

            Observando obras de arte notamos que elas podem ser agrupadas de acordo com seus temas. Nos livros de História da Arte esses grupos são chamados de gêneros.
            Conheça os nomes de alguns desses gêneros e o assunto principal de cada uma deles:
·         A Paisagem tem com temas lugares.
·         O Retrato tem como tema as pessoas.
·         A Natureza-Morta tem como tema objetos, frutas e outras coisas pequenas.


Colocando em prática
           
1 - Observe estas pinturas e assinale o gênero a que cada uma delas pertence.
Obras de:


2 - Imagine que você ganhou um retrato, uma natureza morta e uma paisagem para colocar em casa. Onde você coloca cada um? Por quê?


3- Experimente pintar ou desenhar o retrato de uma pessoa conhecida de um jeito que ela não é, fazendo algo que ela nunca fez.









4 - Desenhar um retrato exige atenção em muitos aspectos. A atenção, a pose e o cenário de fundo podem ser muito importantes. Faça os detalhes do rosto nas figuras a seguir, mas usando uma expressão diferente para cada figura.
              

5 - Muitos artistas pintaram e desenharam a própria família ou outras famílias.
Observe e compare as imagens destes retratos e depois responda às perguntas a seguir.

·         Em que posições estão os retratados?

·         Em quais retratos vemos outras pinturas dentro?

·         As roupas ajudam a saber como são essas famílias?

·         Qual retrato mostra a família fazendo algo cotidiano?

·         Em quais retratos há uma criança no colo?

·         Alguma das famílias retratadas de parece com a sua?

·         Qual delas é a mais diferente da sua família?


6 - Desenhe e/ou pinte em uma folha de papel sulfite um retrato de sua família: Quem vai participar? Pense na pose de cada um, imagine o cenário de fundo. Capriche nos detalhes!





Obs.: Algumas das propostas sugeridas acima foram retiradas do livro Conviver. Arte. 3 Ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário