segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Morais Filho - Pintura e desenho, Figurativo e Abstrato

Conteúdos e procedimentos que podem ser trabalhados
Pintura figurativa e pintura abstrata, utilização de suportes diferenciados – tecidos, CD, sucata, cabaças, cuias, pvc - mandalas, pintura de observação, mistura e sobreposição de cores, pinceladas, texturas. Natureza Morta.
De várias, formas, diferentes obras de Morais Filho podem ser organizadas, é possível montar uma sequência de seus trabalhos pelo tema, técnica ou justamente pela diferença, como figurativo x abstrato.
Temas para apreciação
Numa apreciação, pode-se trabalhar somente uma obra ou duas semelhantes e observar características especificas: pinceladas, utilização de diferentes tons de cor  (principalmente nas pinturas de Natureza), sobreposição de pinceladas (nos abstratos). Por outro lado é possível observar diferentes procedimentos de trabalho se são comparadas obras de estilos diferentes – neste caso também pode ser interessante pedir aos alunos que encontrem semelhanças estilísticas em obras de gêneros diferentes.
Natureza morta. A natureza morta é um gênero de pintura no qual o artista organiza objetos numa mesa – da maneira que melhor lhe agradar – e depois faz um registro desse arranjo. É interessante notar como o trabalho do pintor já começa na montagem do arranjo que vai ser retratado. Morais Filho tem varias naturezas mortas, e há na história da arte muitas pinturas desse gênero que podem ser utilizadas numa aula sobre natureza morta.
Outro gênero que pode ser explorado a partir de trabalhos deste artista é a paisagem. Os diferentes tons e sobreposições de cor que são utilizados nas paisagens podem sugerir um desafio para os alunos.
A pintura abstrata é muito difícil de fazer uma atividade de apreciação, pois não há temas ou figuras para se reconhecer. As crianças, e mesmo os adultos, procuram imagens para descrever, algo retratado, uma história ou descrição. Para um professor, é um desafio apresentar este tipo de obra para uma criança, pois não há o “certo” a ser descoberto. É importante deixar que se descubram indicações sobre os procedimentos - que se perguntem a respeito de como o artista trabalha, de como são as pinceladas, como ele combina as cores e consegue determinados efeitos e soluções visuais.
Encaminhamentos para produções
Uma das possibilidades mais interessante para os alunos trabalharem a partir da obra de Morais Filho, é a pintura abstrata. Muitas vezes existe o preconceito de que os pintores abstratos não sabem “pintar de verdade”. No caso deste pintor, ele trabalha com os dois gêneros, e fica claro que a pintura abstrato é opção criativa, uma forma do artista explorar as possibilidades da pintura para além da figuração, descobrindo novas combinações de cores e formas.
Obviamente, não basta dizer isso os alunos, é preciso que eles o percebam e façam suas próprias experimentações no campo da pintura. Para isso um trabalho com pintura abstrata pode passar por etapas de realizar misturas de tintas para obter novas cores, agregar materiais (como polvilho ou farinha de trigo) às tintas para obter novas espessuras e com elas mais e novos efeitos. Explorar instrumentos e suportes diferenciados também pode ser um estímulo para a produção de arte abstrata, pois o atrativo deste tipo de atividade está na possibilidade de INVENÇÃO que é oferecida ao aluno. Suportes em formatos diferentes (redondo, oval, retangular, disformes, tortos) e materiais diferentes (tecido, papelão, madeira, tijolos) e também em tamanhos não convencionais também estimulam a PESQUISA na produção abstrata. (Outros instrumentos de pintura podem ser utilizados na abstração: vassouras, estopa, escovas, tufos de barbante, soprar a tinta ou canudinhos). Para o encaminhamento de uma atividade de pintura abstrata, o professor precisa ficar atento às descobertas de “efeitos” que os alunos fazem, como misturas de cores, escorrimento de tinta, texturas obtidas com instrumentos alternativos. Na pesquisa em pintura abstrata, estas se tornam as marcas pessoais na produção dos alunos, e quando descobrem um efeito interessante, podem explorá-lo, exercitá-lo, descobrir variações e se aprofundar em seu próprio processo de pintura. Para isso, um professor atento e disposto a fazer intervenções produtivas, é um elemento fundamental para o desenvolvimento artístico dos alunos. Um professor atento vai saber disparar a produção abstrata e estimular cada aluno a desenvolver seu trabalho. É fundamental que não se construam propostas limitadoras ou niveladoras de pintura abstrata, nas quais o professor acabe orientando todas as crianças a fazerem o mesmo trabalho, explorarem o mesmo efeito (como por exemplo: todos vão carimbar com estopa, ou todos vão soprar a tinta pelo canudinho). As mesmas técnicas e materiais podem ser usados tanto numa proposta pobre com em atividades enriquecedoras. Para fazer uma aula de pintura abstrata de verdade, o professor oferece várias possibilidades aos alunos e os estimula a pesquisar e produzir, a se aprimorar na pintura criando diferentes procedimentos à medida em que experimenta instrumentos, materiais e suportes.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário