terça-feira, 12 de março de 2013

Realismo



Entre 1850 e 1900 surge nas artes europeias, sobretudo na pintura francesa, uma nova tendência estética chamada Realismo, que se desenvolveu ao lado da crescente industrialização das sociedades, O homem europeu, que tinha aprendido a utilizar o conhecimento científico e a técnica para interpretar e dominar a natureza convenceu-se de que precisava ser realista, inclusive em suas criações artísticas, deixando de lado as visões subjetivas e emotivas da realidade.
Esses novos ideais estéticos manifestaram-se em todas as artes:

Características Gerais do Realismo

Veracidade: despreza a imaginação romântica.
 Contemporaneidade: descreve a realidade, fala sobre o que está acontecendo de verdade.
Retrato fiel das personagens: caráter, aspectos negativos da natureza humana.
Gosto pelos detalhes: lentidão na narrativa.
Materialismo do amor: a mulher objeto de prazer/adultério.
Denúncia das injustiças sociais: mostra para todos a realidade dos fatos.
Determinismo e relação entre causa e efeito: o realista procurava uma explicação lógica para as atitudes das personagens, considerando a soma de fatores que justificasse suas ações
Pintura

Caracteriza-se, sobretudo pelo princípio de que o artista deve representar a realidade com a mesma objetividade com que um cientista estuda um fenômeno da natureza. Ao artista não cabe “melhorar” artisticamente a natureza, pois a beleza está na realidade tal qual ela é. Sua função é apenas revelar os aspectos mais característicos e expressivos da realidade.
Em vista disso, a pintura realista deixou completamente de lado os temas mitológicos, bíblicos, históricos e literários, pois o que importa é a criação a partir de uma realidade imediata e não imaginada.
A volta do artista para a representação do real teve uma consequência: sua politização. Isso porque, se a industrialização trouxe um grande desenvolvimento tecnológico, ela provocou também o surgimento de uma grande massa de trabalhadores, vivendo nas cidades em condições precárias e trabalhando em situações desumanas. Surge então a chamada “pintura social”, denunciando as injustiças e as imensas desigualdades entre a miséria dos trabalhadores e a opulência da burguesia.
Dentre os representantes da pintura realista podemos apontar é o francês Gustave Courbet (1819-1877). Para ele, a beleza está na verdade. Suas pinturas chocam o público e a crítica, habituados à fantasia romântica. São marcantes suas telas Os Quebradores de Pedra, que mostra operários, e Enterro em Ornans, que retrata o enterro de uma pessoa do povo. Outros dois nomes importantes que seguem a mesma linha são Honoré Daumier (1808-1879) e Jean-François Millet (1814-1875). Também se destaca Édouard Manet (1832-1883), ligado ao Naturalismo e, mais tarde, ao Impressionismo. Sua tela Olympia exibe uma mulher nua que "encara" o espectador.
 
 Os Quebradores de Pedra - Gustave Courbet

As Respigadeiras, de Jean-François Millet
 
Os comedores de batatas, de Vincent van Gogh, 1885 

Autorretrato Gustave Coubert
 
Escultura
Na escultura, o grande representante realista foi o Auguste Rodin. O escultor não se preocupou com a idealização da realidade. Ao contrário, procurou recriar os seres tais como eles são. Além disso, os escultores preferiam os temas contemporâneos, assumindo muitas vezes uma intenção política em suas obras. Sua característica principal é a fixação do momento significativo de um gesto humano.

O Pensador – Rodin
O Beijo – Rodin
 
Teatro

Com o realismo, problemas do cotidiano ocupam os palcos. O herói romântico é substituído por personagens do dia-a-dia e a linguagem torna-se coloquial. O primeiro grande dramaturgo realista é o francês Alexandre Dumas Filho (1824-1895), autor da primeira peça realista, A Dama das Camélias (1852), que trata da prostituição.
Fora da França, um dos expoentes é o norueguês Henrik Ibsen (1828-1906). Em Casa de Bonecas, por exemplo, trata da situação social da mulher. São importantes também o dramaturgo e escritor russo Gorki (1868-1936), autor de Ralé e Os Pequenos Burgueses, e o alemão Gerhart Hauptmann (1862-1946), autor de Os Tecelões. 

 A Dama das Camélias (1852)
 Os Pequenos Burgueses



Colocando em prática os conhecimentos adquiridos sobre Realismo

 

1 -Qual dessas características não representa o Realismo?
A - Retrato fiel das personagens.
B - Denúncia das injustiças sociais: mostra para todos a realidade dos fatos.
C- Contemporaneidade: descreve a realidade, fala sobre o que está acontecendo de verdade.
D - Liberdade de criação e de expressão, Valorização das emoções.

2 - Sobre o realismo é certo afirmar:
A - Que surgiu nas artes europeias, entre 1850 e 1900, sobretudo na pintura francesa e se desenvolveu ao lado da crescente industrialização das sociedades.
B - Foi um movimento que criou uma nova visão conceitual da natureza utilizando pinceladas soltas dando ênfase na luz e no movimento.
C - Historicamente originou-se na obra de Cézanne, pois para ele a pintura deveria tratar as formas da natureza como se fossem cones, esferas e cilindros.
D - Movimento cultural europeu, do século XVIII e parte do século XIX, que defende a retomada da arte antiga, especialmente greco-romana, considerada modelo de equilíbrio, clareza e proporção.

3 - Na escultura, ele foi um grande representante Realista:
A - Canova
B - Claude Monet 
C - Auguste Rodin
D - Henri Matisse

4 - Para ele, a beleza está na verdade. Suas pinturas chocaram o público e a crítica, habituados à fantasia romântica. São marcantes suas telas Os Quebradores de Pedra, que mostra operários, e Enterro em Ornans, que retrata o enterro de uma pessoa do povo. O enunciado se refere a qual artista
A - Gustave Courbet
B - Victor Meirelles
C - Honoré Daumier
D - Jean-François Millet

5 - São importantes nomes da pintura realista:
A - Eugène Delacroix, Caspar David Friedrich
B - Gustave Courbet, Honoré Daumier e Jean-François Millet
C - Claude Monet, Cézanne.
D -Henri Matisse e André Derain

6 - Ele foi o primeiro grande dramaturgo realista:
A - Auguste Rodin
B - O francês Alexandre Dumas Filho.
C - Jacques Louis David
D - Marcel Duchamp

7 - Auguste Rodin em suas esculturas, não se preocupou com a idealização da realidade. Ao contrário, procurou recriar os seres tais como eles são. Sobre os escultores e esculturas Realistas podemos afirmar:
A - A emoção, o amor e a liberdade de viver são os valores retratados nas esculturas Realistas.
B - Tarsila do Amaral, Anita Malfatti são grandes escultoras e se destacaram no movimento realista.
C - geometrização das formas e volumes são características das esculturas.
D - Eles preferiam os temas contemporâneos, assumindo muitas vezes uma intenção política em suas obras. Sua característica principal é a fixação do momento significativo de um gesto humano.



Atualizado em 05/ 04/ 2013

Fonte:
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/realismo/realismo-10.php
http://www.tribosjovens.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=1310
http://literaturma20.blogspot.com.br/p/o-realismo-naturalismo-e-parnasianismo.html

Um comentário: